political writings

Français    English    Italiano    Español    Deutsch    عربي    русский    Português

Israel tem infiltradas e controlada com sucesso todas as instituições palestinianas
Gaza: “O Povo Palestino esta cheio dos traidores”

Omar, um palestino residente do testemunho de Gaza.

Ele denunciou, em particular o papel de Rashid Abu Shabak, chefe da Segurança Preventiva, e Mohammed Dahlan, no assassinato, em 31 de março de 2006 em Gaza, Abu Youssef Al Qouqa, chefe da Salah Ed Brigadas Deen, a sucursal Exército Resistência Popular Comitês apoiado pelo Hamas.

3 de Abril de 2006

Silvia Cattori : O que é que faz voce sofrer mais, neste momento em Gaza ?

Omar : O que mais nos faz sofrer é o barulho dos tiros de canhão e das bombas de som que explodem toda noite e também durante o dia nesta parte que Israel chama de “no go zone”, situada ao norte de Beit Lahiya, à leste da Gaza.

Silvia Cattori : As novas Autoridades fazem apelo à Europa, cada vez que voces sofrem agressões, para exigirem que Israel cesse de vos ferir ?

Omar : Nossas Autoridades já fizeram milhares de apelos `a comunidade internacional, aos Estados Unidos (USA), à Europa; em vão. E agora que nós somos qualificados de Povo “terrorista” por termos votado no Hamas, ninguém quer mais nem mesmo falar conosco. Aqui estamos punidos, porque nós escolhemos quem eleger, democráticamente, um governo que eles qualificam de “terrorista”.

Silvia Cattori : Como a população ve esta punição ? Ela acabará, com o passar do tempo, por se voltar contra esta Autoridade que o mundo quer isolar ?

Omar : Não acredito. Jamais, jamais .

Silvia Cattori : O que aconteceu exatamente na sexta-feira, 30 de março em Gaza ?

Omar : Um carro bomba explodiu no momento em que o veículo de Abu Youssef Al-Qouqa, chefe das Brigadas Salah Ed Deen, passava. Seu assassinato foi seguido de graves incidentes.

Silvia Cattori : Não foi então um ataque aéreo israelense ?

Omar : Este assassinato aconteceu da mesma forma que o assassinato de um chefe do Jihad Islâmico, há dois meses.

Silvia Cattori : Se trata então de um assassinato combinado entre os serviços israelenses e os serviços palestinos ? Se é sim, os militantes designados por Israel, estão eles agora duplamente ameaçados ?

Omar : Exatamente ! Nós como povo, não somos diretamente visados por estes assassinatos. Mas os líderes do Hamas, do Jihad Islâmico ”procurados” por Israel, eles, estão mais do que nunca ameaçados.

Silvia Cattori : Ameaças do interior ?

Omar : Ameaçados por Israel, mas infelizmente com a colaboração de Palestinos.

Rashid Abu Shabak, chefe
da Segurança Preventiva

Silvia Cattori : Estes colaboradores, eles tem um nome ?

Omar : Após o assassinato do seu líder, Abu Abeer, o porta-voz das Brigadas Salah Ed Deen, acusou Mohammad Dahlan e Rachid Abu Shabak, o chefe da segurança preventiva, assim que Mash’ Harawi, um membro do Fatah, e Tariq Abu Rajap, um dos membros dos serviços secretos. Na minha opinião, Abu Abeer cometeu um grave erro por designá-los pelos seus nomes.

Silvia Cattori : Um erro para ele mesmo ?

Omar : Para ele mesmo e para o povo. Ele não deveria jamais ter citado o nome dessas pessoas. Ele será sem dúvida assassinado. Logo após eles atiraram nele e erraram. Esta declaração colocou fogo na pólvora. Durante o enterro de Abu Youssef Al Queqa, houve uma batalha de rua entre o pessoal de Abu Abeer e os guarda-costas de Nabil Tammous, que faz parte dos esquadões da morte criados, originalmente por Mohammad Dahlan, três pessoas foram mortas, vinte foram feridas. O pessoal do Hamas interviu para separá-los e conseguiu parar o confronto.

Silvia Cattori : O que vai fazer o governo do Hamas para evitar outros incidentes ?

Omar : Ele anunciou que não é mais possível carregar armas na rua sem autorização.

Silvia Cattori : Então, os homens de Mohammad Dahlan deverão se alinhar ?

Omar : Si,. Eles não estarão mais acima da lei. Nós todos aqui esperamos que estas pessoas sejam julgadas o mais breve possível.

Silvia Cattori : Os dossier das traições vão ser abertos brevemente ?

Omar : Eu o espero. Assim como o dossier dos colaboradores.

Silvia Cattori : Voce acredita que as pessoas visadas vão se deixar prender e julgar sem resistir ?

Omar : Voce sabe, o povo está cheio de todos esses traidores, de todos esses colaboradores, e destes “esquadrões da morte” . Este tipo de gente continua a jogar com a vida do povo. Eles envenenaram a vida dos Palestinos honestos durante anos.
Todo mundo espera que o governo atual conseguirá puní-los segundo a lei.

Silvia Cattori : Voce quer dizer que as pessoas estão dispostas à denunciar os colaboradores ?

Omar : Existem colaboradores que são conhecidos – existe mesmo um com o status de general – mas ele foi até agora protegido pelo pessoal da Autoridade Palestina. Colaboradores muito conhecidos que, infelizmente, os acordos israelo-palestinos protegiam.

Silvia Cattori : Até agora ?

Omar : Agora que o governo assumiu, nós estamos certos que a nova Autoridade não vai mais continuar à lhes proteger. Eu penso que, se o dossier for aberto, eles vão fugir para Israel ou para qualquer parte no estrangeiro.

Silvia Cattori : O que voce diz é muito grave. Além disso, os representantes da antiga Autoridade continuam a falar da necessidade de respeitar os Acordos de Oslo !

Omar : Os representantes da antiga Autoridade não vivem sob a ameaça constante de Israel, mas em residencias luxuosas; e seu ritmo de vida absorve milhões de dólares que nos fazem falta aqui. Eles estão muito distante do sofrimento real do nosso povo que vive sob o terror. Israel quer negociar pela ditadura e nós deveriamos obedecer, reconhecer sua existência enquanto ela nega a nossa ? Eu espero que chegue o dia em que essa gente que colaborou com o ocupante, se dêem conta do significado de viver no norte de Gaza, em Jenin, em al-Khalil, em Nablus; sob constante ataque israelense.

Eu espero que chegue o dia em que todas essas pessoas, que colaboraram de uma forma ou de outra, sejam julgadas e presas, e que Deus ajude nosso governo à proteger os Palestinos da melhor forma possível.

Silvia Cattori

Tradução : Elaine Guevara

Link do artigo original :
http://www.silviacattori.net/article194.html